Sem banners disponiveis


BBB- Violência doméstica no horário nobre

Marcos-em-ato-grosseiro-com-EmilyA TV Globo expulsou o cirurgião plástico Marcos Härter do Big Brother Brasil na noite desta segunda-feira (10). O médico de 37 anos foi flagrado agredindo a estudante Emilly Araújo, de 20 anos, com quem tem um relacionamento na casa.

A expulsão foi comunicada ao vivo pelo apresentador Tiago Leifert às três finalistas. “Agressão dá eliminação”, afirmou Leifert. Ele explicou que a produção do programa ouviu especialistas, policiais e o público antes da decisão. A Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu inquérito para apurar o caso e concluiu que houve violência.

Emilly ficou impactada com a decisão e demonstrou preocupação com sua família. “Por que isso está acontecendo?”, emocionou-se. Ela tentou justificar as reações de Marcos. “Ele estava muito nervoso.” “Talvez tu gostasses tanto dele que tu não estivesses enxergando [o nível da agressão]”, tentou explicar a advogada Vivian.

Gravações do programa mostram o gaúcho apertando e beliscando a jovem. O cirurgião também constrangeu Emilly em várias ocasiões, descritas como “tortura psicológica” pela diretora da Divisão de Política de Atendimento à Mulher do Rio de Janeiro, Marcia Noeli Barreto.

Leifert também ressaltou a ocorrência de “abuso psicológico”. A polícia entrou no caso depois do barulho feito pela internet desde a manhã de domingo (9).

Pelos abusos e agressão, o público pediu a expulsão do médico. A tag #MarcosExpulso foi um dos tópicos mais discutidos neste fim de semana.

Na manhã desta segunda, a Globo foi alvo de críticas por ter mantido Marcos no BBB após o paredão de domingo.

Com a expulsão de Marcos, as três finalistas do programa são: Emilly, Vivian e Ieda.

Negação

A cena de negação de Emilly, após ser informada da expulsão de seu namorado Marcos do Big Brother Brasil, mostra a tortuosa realidade de vítimas de relacionamentos abusivos. Quem ama muitas vezes não quer enxergar.

Mas, se o pilar da sua relação é a violência, o constrangimento, o sofrimento, algo está errado. Não dá para falar que “foram só beliscões ou apertões”. Isso é agressão. E abuso psicológico também é violência. Deixa cicatrizes ser constantemente criticado, humilhado, detonado pela pessoa a quem você entregou seus melhores sentimentos.

A conscientização é fundamental para que as vítimas consigam reconhecer o problema. É doloroso admitir que a pessoa que você ama pode violentar você. Por isso, precisamos continuar falando sobre isso. Discutir, esclarecer, denunciar. E finalmente romper com o ciclo vicioso de um relacionamento baseado em abusos.

Força, Emilly! Expressão que se estende a todas as pessoas que neste momento estão buscando alguma coragem, entre sentimentos tão dúbios, para dar a fim a um namoro, casamento, relação marcada por agressões físicas ou verbais.

 

Fonte: MSN Estilo de vida

 

Categorias: Saúde da Mulher